CNMP julga processo contra procuradores da Lava Jato do Rio

Foto: divulgação

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) julga nesta semana processo contra procuradores da Lava Jato do Rio de Janeiro. O julgamento é contra 11 ex-integrantes da força tarefa por reclamação disciplinar de ex-ministros. A discussão é em torno de um release sobre operação contra Romero Jucá, Edison Lobão e Márcio Lobão sob acusação de recebimento de propina.

Segundo a defesa dos acusados, quando a denúncia foi oferecida, em março deste ano, as informações estavam sob sigilo e não poderiam ter sido divulgadas. A restrição sobre os autos foi derrubada só oito dias depois da divulgação.  Procuradores dizem que a prática é comum no MPF e citam os princípios da publicidade e do interesse público.

No mês passado, o corregedor do CNMP, Rinaldo Reis Lima, votou a favor da abertura do processo e sugeriu a demissão dos procuradores. Ele argumentou: “Estamos diante do descumprimento de dever legal de sigilo sobre algo alcançado em razão da função exercida na atividade fim”.

Defesa de procuradores diz que críticas aos abusos da Lava Jato de Curitiba atrapalham processo

Eugênio Pacelli, que atua na defesa dos procuradores da operação do Rio, reclama que o processo está contaminado. Para ele, as críticas à Lava Jato de Curitiba afetam o processo da operação fluminense.

“A crítica pós-Lava Jato, merecida em vários pontos, contribui para que se forme na elite política uma resistência meio arbitrária aos membros do MP. O que eu vejo neste caso é que há uma má vontade pós-lavajatista, e contribui um desejo permanente de retaliação”, avalia.

“Os procuradores do Rio não fizeram nada além do que é feito em todo o Brasil. Subiram release sobre processos, sobre conteúdo sem omitir nomes”, prossegue.

Via Diário do Centro do Mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *