Renan Calheiros deve pedir indiciamento de filhos de Bolsonaro e outros aliados

Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

Renan Calheiros deve pedir o indiciamento de dois filhos de Jair Bolsonaro. Estão na mira da CPI Carlos e Eduardo. Segundo a comissão, eles teriam atuado no “gabinete do ódio” durante a pandemia, auxiliando blogueiros e empresários a espalhar fake news sobre o coronavírus.

As provas estão anexadas no inquérito das fake news e foram compartilhadas com os senadores, segundo o Correio Braziliense. Em setembro, Alexandre de Moraes compartilhou o inquérito com o colegiado. Nos documentos, são citados Eduardo, Carlos (como coordenador do gabinete), Fábio Wajngarten e Otávio Fakhoury.

O último e Luciano Hang devem ser apontados como financiadores do esquema de notícias falsas. Filipe Martins, por sua vez, deve aparecer como responsável por encabeçar as estratégias e conteúdos. Carla Zambelli e Bia Kicis também serão citadas no relatório.

Renan vai pedir indiciamento de Bolsonaro por genocídio

Renan Calheiros vai manter a acusação de genocídio contra indígenas a Jair Bolsonaro no relatório final da CPI da Covid. Ele se reuniu com povo indígenas durante os trabalhos da comissão e considera que há elementos suficientes para acusá-lo. Para o senador, há omissão no combate à pandemia nas terras dos povos.

O tema, porém, não tem consenso entre o G7. Alessandro Vieira, por exemplo, planeja fazer um relatório paralelo, sem incluir genocídio entre os crimes. Mesmo assim, Renan vai manter a acusação no relatório final.

A ideia é que a denúncia seja mantida para que o presidente possa ser denunciado no Tribunal Internacional de Haia.

Via Diário do Centro do Mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *