Queiroga não responde a questionamentos da CPI e pode ser convocado pela 3ª vez

Até agora, o Ministério da Saúde não respondeu aos questionamentos enviados pela CPI da Covid ao órgão.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Rodrigues O colegiado pediu esclarecimentos sobre temas como o esquema de vacinação para 2022.

O prazo acaba hoje.

Como as respostas provavelmente não serão enviadas, a CPI cogita reconvocar o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Nesta quinta-feira (7), a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) retirou de pauta a análise que faria sobre o protocolo de uso da cloroquina contra a Covid-19.

A fase de depoimentos, porém, está prevista para terminar hoje.

Seria o terceiro depoimento de Queiroga à comissão.

Ministro ficou com medo de ser demitido e antecipou volta ao Brasil

O ministro da Saúde Marcelo Queiroga antecipou sua volta ao Brasil porque estava com medo de ser demitido.

Com covid-19, ele ficou em quarentena nos EUA, mas fez diversos testes até um dar negativo e ele ser liberado. Tudo isso porque o ministro estava morrendo de medo de perder o emprego.

O DCM conversou com pessoas ligadas à Saúde e elas confirmaram que Queiroga se sentiu balançando nos últimos dias.

Isso porque, o que vinha o segurando era seu perfil de guerrilheiro em defesa a Bolsonaro.

Mas a Covid o afastou da guerra política, além de criar uma celeuma da presidência com outros líderes mundiais.

Embora Bolsonaro não tenha falado publicamente sobre mudança na Saúde, o tema apareceu em conversas privadas.

Um interlocutor com entrada no Planalto confirmou que o presidente está insatisfeito com o ministro.

As razões são variadas, mas a mais importante é a resistência em vencer a narrativa das vacinas. O sonho do presidente era que Queiroga conseguisse fazer o que Guedes fez.

Via Diário do Centro do Mundo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *