“Nunca imaginei que voltaríamos a uma situação de anomalia democrática”, diz Lula

Ao lado de Gleisi e Flávio Dino, o ex-presidente discursou nesta sexta-feira em encontro do PT com movimentos sociais do Maranhão. Lula ainda falou sobre o impeachment de Bolsonaro, dizendo que não acredita que a Câmara votará a retirada do chefe do governo do Planalto

Foto: reprodução

Como parte de sua viagem ao Nordeste, o ex-presidente Lula esteve nesta sexta-feira (20) com a presidente do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), e outras lideranças políticas em um encontro promovido pelo partido.

Gleisi e Dino discursaram no evento e lembraram da perseguição jurídica promovida pela Lava Jato contra o ex-presidente ao longo dos últimos anos.

Lula, em sua fala, disse ser “muito importante” refletir “sobre o que está acontecendo no nosso país e o que aconteceu em um passado bem recente”. “Nunca imaginei que depois dos avanços que tivemos na Constituição de 88, a gente voltaria a uma situação de anomalia democrática. Todos nós temos que refletir se em algum momento nós tivemos responsabilidade pelo que está acontecendo”.

A declaração do petista vem em um momento em que Jair Bolsonaro, chamado por Lula de “genocida que não tem respeito nem por 600 mil pessoas que morreram”, coloca em dúvida o processo eleitoral brasileiro e faz sucessivos ataques à democracia.

O ex-presidente afirmou que a oposição ainda não conseguiu mostrar à população que uma situação como esta, de ameaça de volta a uma ditadura, não é normal.

Impeachment

O ex-presidente afirmou que tem dúvidas se a Câmara dos Deputados votará o impeachment de Bolsonaro e disse: “vocês vão ter que tirar o Bolsonaro do poder”.

A outra opção, segundo Lula, é uma interdição do chefe do governo via Supremo Tribunal Federal (STF): “ele é um desequilibrado”.

Pandemia

O petista contou ainda que o ex-ministro da Saúde e deputado Alexandre Padilha (PT-SP) lhe deu uma bronca após ver imagens de sua chegada ao aeroporto de São Luís do Maranhão e pediu que o ex-presidente não viaje mais pelo país sem um médico ao seu lado. Lula, então, pediu que a população não se esqueça dos cuidados com a pandemia. “Depende de nós. Evitar aglomerações, evitar tirar a máscara, lavar a mão”

Via Brasil 247

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.