Lula: “Biden tem de entender que a América Latina tem direito de crescer”

Em entrevista à imprensa argentina, Lula prega uma América Latina unida e fortalecida, e critica o fato de o presidente americano manter um “discurso de dominação” em relação à região

Lula: “Queremos nossa soberania. Queremos que nossos povos tenham autodeterminação” (Foto: Ricardo Stuckert)

Em entrevista ao jornal argentino Página 12, o presidente Lula defendeu uma América Latina unida e organizada como bloco econômico que tenha força de negociação com as potências mundiais. Para isso, é necessário que governos progressistas voltem a governar a região — algo que já começa a ocorrer, com as vitórias de Alberto Fernández, na Argentina; de Luis Arce, na Bolívia; e de Pedro Castillo, no Peru — e que se acabe com as ingerências norte-americanas no continente.

“(O presidente dos Estados Unidos, Joe) Biden tem que entender que a América Latina deve ter o direito de crescer. Não é possível que, em 500 anos, não tenhamos nenhum país altamente desenvolvido”, afirmou na conversa, publicada pelo jornal no domingo (4). Lula avalia que, quando fala para os americanos, Biden faz um discurso importante, de resgate da importância da política. Porém, na política externa, o presidente americano mantém o discurso conservador, de quem acha que “os Estados Unidos devem ser o farol do mundo”.

“Queremos nossa soberania. Queremos que nossos povos tenham autodeterminação. E não vejo flexibilização no discurso americano para a América Latina. É quase um discurso de dominação: ‘Vocês não podem crescer. Você não podem ficar ricos. Não podem ter soberania. Não podem se desenvolver’. Quando começamos a nos desenvolver, colocam um embaixador para organizar um golpe de Estado no nosso continente”, avaliou.

O fim de governos progressistas, seja pelo fim de mandatos ou a morte de alguns líderes, seja por golpes de Estado como o que tirou a presidenta Dilma Rousseff da Presidência do Brasil, fez a região viver um grande retrocesso em termos de inclusão social. Mesmo assim, Lula se mostra otimista e disposto a lutar para que os países latino-americanos voltem a ser soberanos e justos com seu povo.

“O retrocesso que vivemos na América latina começa a ser recuperado com a vitória de Alberto Fernández na Argentina, com o regresso de Luis Arce ao governo da Bolívia, com a vitória de Pedro Castillo, no Peru. E, pouco a pouco, vamos tratando de mostrar à sociedade que a democracia tem de ser exercida em toda a sua plenitude e que só tem sentido se nela estiverem incluídas as pessoas mais pobres, as mais necessitadas. (…) Estou disposto a seguir lutando para ver se conseguimos recuperar a democracia neste país, para ver se conseguimos recuperar o direito à liberdade sindical, o respeito aos direitos humanos, o respeito à vida para que as pessoas possam trabalhar, para que as pessoas possam comer“, disse.

E todos os países da região voltarão a crescer se governos comprometidos com a democracia plena se unirem, acredita Lula. “A América Latina tem que compreender que temos de ser um bloco. Um bloco que pensa de forma econômica, social, que pensa de forma unida. O mundo está dividido em blocos e nós não podemos continuar negociando separadamente. A Argentina unilateralmente com a Europa, a Bolívia sozinha, temos que nos juntarmos. Temos que criar um bloco forte, como estávamos fazendo com a Unasul, para que possamos negociar com a União Europeia, com a China, com os Estados Unidos. Volto a sonhar com isso e peço a Deus para que o PT e outras forças democráticas cheguem ao governo.”

Via PT Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *