“Postura de Bolsonaro favorece motins da polícia”, diz Camilo Santana

O governador do Ceará alertou que o discurso e a postura de Jair Bolsonaro (sem partido) estimulam motins de policiais, como o deflagrado no ano passado em seu estado e reações violentas como nos protestos antigoverno em Recife

Jair Bolsonaro e Camilo Santana. (Foto: ABr)

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT) afirmou nesta terça-feira (15) que o discurso e a postura de Jair Bolsonaro (sem partido) estimulam motins de policiais, como o deflagrado no ano passado em seu estado, e reações violentas como nos protestos antigoverno em Recife, no qual duas pessoas ficaram cegas após serem atingidas por bala de borracha nos olhos. A entrevista foi conduzida pela apresentadora Fabíola Cidral e pelos jornalistas Josias de Souza e Tales Faria, do portal UOL.

“Aqui, até pela reação forte que tivemos, será mais difícil, porém o clima liderado pela maior autoridade do país favorece essas ações, como aconteceu aqui no Ceará e em Pernambuco. Acho que o discurso e forma como ele age favorecem isso”. 

De acordo com o governador, há lideranças dentro das polícias que são politizadas, defendem o governo Bolsonaro e estimulam indisciplina dos subordinados, o que poderia desencadear um movimento nacional como o visto no Ceará.

“Houve decepções grandes por parte de policiais em razão de medidas que o Congresso aprovou. Isso criou divisão nas expectativas sobre Bolsonaro. Mas há quadro de lideranças que defendem governo Bolsonaro e estimulam esse tipo de indisciplina, estimulam sindicalização, então há possibilidade de movimentos a nível nacional”, afirmou.

Questionado se Bolsonaro poderia usar o apoio dos policiais para tentar um golpe militar e se manter no poder, o governador respondeu que, se houve essa tentativa, será preciso uma reação forte do governo estadual para garantir respeito às instituições.

Via: Brasil 247

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *