Um dia após pressão da embaixada chinesa, Bolsonaro volta a dizer que vírus da Covid foi criado em laboratório

Em culto evangélico em Anápolis (GO) nesta tarde, Jair Bolsonaro disse que não tem provas, mas acredita na hipótese classificada pela embaixada como “teoria conspiratória”

(Foto: Alan Santos/PR)

Um dia após a Embaixada da China no Brasil se posicionar sobre a hipótese de que o novo coronavírus foi criado em um laboratório em Wuhan, Jair Bolsonaro insistiu na narrativa. 

Em culto evangélico em Anápolis (GO), o presidente disse que não tem provas, mas acredita na hipótese classificada pela embaixada como “teoria conspiratória”. 

“Tivemos um problema seríssimo, a tal da pandemia. Ainda, eu não tenho provas, né? Mas esse vírus nasceu de um animal ou nasceu num laboratório? Eu tenho na minha cabeça da onde ele e veio e para quê, mas ela está aí”, disse. “Começou a se utilizar politicamente o vírus”, completou Bolsonaro. 

No comunicado desta terça-feira, a China alertou que a politização do coronavírus “está fadada ao fracasso”. 

“Instamos aquele pequeno número de países e indivíduos a cessar imediatamente a politização do assunto e a sabotagem da cooperação internacional no estudo das origens por motivo de sua agenda política escusa”, diz a embaixada do país asiático.

Reportagem de Natália Portinari e Julia Lindner, no Globo, publicada nesta quarta, mostra como os posicionamentos agressivos de Bolsonaro com a China prejudicaram a compra de vacinas. 

Segundo as jornalistas, um executivo da farmacêutica Sinovac pediu uma mudança no posicionamento político do Brasil para que houvesse uma relação “mais fluida” entre os países e “fez questão de ressaltar a importância do apoio político para a realização das exportações, e mesmo a possibilidade de tratamento preferencial a determinados países”.

Via: Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *