CPI quer apurar pressão de Flavio Bolsonaro para nomear altos cargos na Saúde durante gestão Mandetta

A CPI da Covid começou questionando interesses incomuns do senador Flávio Bolsonaro por cargos do Ministério da Saúde no início da pandemia

Jair e Flávio Bolsonaro (Foto: Sérgio Lima/Poder360)

A CPI da Covid vai apurar a pressão que o então ministro da pasta, Luiz Henrique Mandetta, teria sofrido, em janeiro de 2020, para nomear indicados pelo senador Flávio Bolsonaro para quatro altos postos no Ministério da Saúde. A lista incluía o então secretário-executivo João Gabbardo, o braço direito de Mandetta na pasta. 

Os quatro nomes que o Planalto pretendia nomear eram do Rio de Janeiro e nenhum possuía experiência ou já tinha ocupado algum cargo de gestão no SUS. A informação é do colunista Bernardo Mello Franco em O Globo. 

Mandetta reuniu-se com Jair Bolsonaro para defender os ocupantes dos cargos e ouviu do presidente que seus auxiliares não eram “gente nossa”. Segundo o relato do ex-ministro, o presidente informou que as sugestões de troca haviam partido de Flavio Bolsonaro. 

O senador aparentemente estava interessado em contratos milionários na pasta. Além de Gabbardo, Flávio queria trocar dois secretários e o diretor de informática dos SUS.

Via Brasil 247

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *