MP do TCU pedirá afastamento de Ricardo Salles do Meio Ambiente

Foto: Jorge William

O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, pediu à corte de contas que determine à Casa Civil de Jair Bolsonaro o afastamento cautelar do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de suas funções.

A representação é baseada na notícia-crime enviada nesta quinta-feira ao Supremo Tribunal Federal pela Polícia Federal. Na peça, o ex-superintendente do órgão no Amazonas Alexandre Saraiva acusa Salles e o senador Telmário Mota (Pros-RR) de formar uma organização criminosa para atuar em favor de madeireiros clandestinos e criar obstáculos às ações de fiscalização da própria PF e do Ibama. Salles nega as acusações, que classifica como “absurdas”.

Em sua representação, Furtado argumenta que Salles deve ser afastado porque, se continuar no cargo, o ministro pode interferir nas investigações da PF e dificultar ou protelar a apuração das denúncias. Além disso, Salles disporia de meios para inviabilizar a cobrança das multas por infrações ambientais dos madeireiros ilegais e provocar novos prejuízos ao patrimônio ambiental brasileiro.

O procurador defende que o ministro permaneça afastado até que o TCU decida sobre o mérito do caso. Como o pedido é de natureza cautelar, em tese ele deve ser encaminhado com urgência ao plenário pela presidente do tribunal, Ana Arraes.

(…)

VIA DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *