Hospitais militares recebem R$ 3,3 bilhões, mas barram atendimento a civis na pandemia

Levantamento feito pela revista piauí aponta que, em 2020, o Ministério da Defesa recebeu R$ 3,3 bilhões para operar seu sistema hospitalar. A maior parte do dinheiro foi destinado para as unidades de saúde do Exército, e o restante se dividiu entre Marinha, Aeronáutica e o Hospital das Forças Armadas, em Brasília. Apesar de receberem dinheiro público, as unidades barram o atendimento a civis, mesmo com leitos sobrando.

Além do orçamento bilionário, o Ministério da Defesa recebeu um crédito extra de R$ 531 milhões para o combate à pandemia. Parte desses recursos também foi investida em hospitais militares, enquanto outra foi usada na compra de camionetes e manutenção de aviões.

Segundo a reportagem, o Hospital Militar de Área de Manaus, administrado pelo Exército, chegou a ter 15 leitos clínicos de Covid-19 vazios em janeiro, quando Manaus colapsou pela segunda vez. O mesmo acontecia no Hospital de Aeronáutica de Manaus, onde havia 7 vagas de enfermaria.

O Brasil registrou na semana passada 6.370 pessoas com Covid-19 à espera de um leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), de acordo com dados do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass). A Advocacia Geral da União (AGU), no entanto, já se posicionou junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) pelo direito dos hospitais militares não receberem civis.

VIA REVISTA FÓRUM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *