Oposição vai ao STF contra golpe de Lira, que anulou votação da mesa diretora da Câmara

Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O deputado José Guimarães (PT-CE), líder da minoria na Câmara, anunciou na madrugada desta terça-feira (2) que “as oposições” vão entrar com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para contestar o primeiro ato de Arthur Lira (PP-AL) na presidência da Câmara, que anulou o registro do bloco de Baleia Rossi (MDB-SP) por, segundo ele, ter sido registrado após o prazo estipulado.

“Os partidos que se uniram em torno da defesa de uma Câmara livre e independente repudiam, com a mais intensa veemência, o ato autoritário, antirregimental e ilegal praticado pelo deputado Arthur Lira. A eleição é una: não se pode aceitar só a parte que interessa. Ao assim agir, afrontando as regras mais básicas de uma eleição – não mudar suas regras após a sua realização -, o referido deputado coloca em sério risco a governabilidade da Casa”, diz nota distribuída por líderes e parlamentares do PT, MDB, PSB, PSDB, PDT, PCdoB, CIDADANIA, PV e REDE, aunciando que “vamos ao Supremo Tribunal Federal em defesa da democracia e do Parlamento brasileiro”.

Pelo ato, Lira ainda anulou a votação para os demais cargos da Mesa Diretora – ficando ele como único eleito a comandar a casa – e determinou a realização de uma nova eleição para a escolha de seus integrantes.

O cronograma definido por Lira prevê que os líderes partidários se reúnam às 11h desta terça (2) para escolher os cargos a partir da nova divisão. As candidaturas devem ser registradas até as 13h, e a eleição foi convocada para as 16h desta terça.

Presidenta nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR) diz que o ato mostra que Lira “será um ditador a serviço de Bolsonaro” no Congresso.

“Primeiro ato de Artur Lira foi dar um golpe na oposição para mandar na mesa da Câmara. Violência contra a democracia. Mostrou que será um ditador a serviço de Bolsonaro”, tuitou.

Via Revista Fórum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *