Secom usa gráfico enganoso para defender crescimento do PIB

Secretaria apagou a publicação após críticas. Gráfico representava alta de 7,7% sem considerar queda anterior de 9,6%

Foto: Adriano Machado

A Secretaria de Comunicação (Secom) do governo de Jair Bolsonaro havia publicado nas redes sociais, nesta quinta-feira (3), um gráfico que representava de maneira enganosa o crescimento de 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Após críticas, o órgão apagou a publicação.

“PIB cresce 7,7% no terceiro trimestre e Brasil retoma crescimento econômico”, dizia a postagem da Secom. Ao lado da frase, um gráfico representava a alta de 7,7% registrada no trimestre encerrado em setembro como saldo positivo do PIB, sem considerar a queda de 9,6% do trimestre anterior.

Gráfico publicado pela Secom nas redes sociais

A publicação ainda trazia uma fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre um suposto “crescimento em V” do PIB brasileiro. “Eu achava que seria um crescimento em V tipo Nike, uma volta devagar, inclinada, que vai subindo lentamente. Pois bem, o que tá acontecendo é uma volta em V mesmo, com uma subida rápida”, disse o ministro.

O PIB apresentou uma queda de 3,9% no terceiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2019, apresentando a terceira queda consecutiva nesta analogia, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No acumulado dos quatro trimestres terminados em setembro, houve queda de 3,4% frente aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

A publicação da Secom foi criticada nas redes sociais. A economista Laura Carvalho, professora da Economia na Universidade de São Paulo (USP), foi uma das pessoas que ironizou o gráfico apresentado pela pasta. “Depois do PIB público e privado, o gráfico fake”, escreveu no Twitter.

Internautas ainda compartilharam o que seria um gráfico correto para retratar a variação do PIB no último trimestre.

Via Revista Fórum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *