Carol Solberg pode ir a julgamento por ‘Fora Bolsonaro’

Foto: Reprodução/SporTV

A Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Vôlei aguarda o recebimento das súmulas da primeira etapa do Circuito Brasileiro Open de Vôlei de Praia para avaliar o ato da atleta Carol Solberg, que após receber a medalha de bronze disse “Fora, Bolsonaro” em entrevista ao vivo.

“Acredito que até quarta tenhamos recebido a documentação e concluiremos a análise até sexta-feira. No momento não tem como afirmar nada”, informa Fábio Lira, procurador do STJD da modalidade.

O caso não é simples. O Tribunal terá de avaliar a fundo se existe ou não regra específica para fundamentar algum tipo de punição à atleta. “É daqueles casos em que a linha entre a licitude ou ilicitude de uma prática e a extrapolação ou não de um direito garantido, tal como a liberdade de manifestação do pensamento, é muito tênue”, pondera Leonardo Andreotti, Presidente do Instituto Brasileiro de Direito Desportivo (IBDD).

Caso haja uma regra específica que impeça manifestações de cunho político, Carol pode responder por infração à competição e receber multa de R$ 100 a R$ 100 mil, com fixação de prazo para cumprimento da obrigação, conforme artigo 191 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Há ainda o artigo 258, que trata de “qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada” e prevê pena de “suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes”.

(…)

Via UOL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.