Depósitos em dinheiro nas contas de Flávio Bolsonaro cessaram uma semana antes da campanha eleitoral

A alegação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) de que os depósitos feitos em dinheiro vivo em suas contas viriam da loja de chocolates finos da qual é sócio parece ser mais uma falácia para esconder a suposta origem dos recursos, que viriam em parte das rachadinhas comandadas por Fabrício Queiroz no gabinete da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Mesmo com a loja em atividade, os depósitos em dinheiro feitos nas contas do filho de Jair Bolsonaro cessaram no dia 9 de agosto de 2018, coincidentemente uma semana antes do início da campanha eleitoral.

Nesse dia aconteceu o último depósito, no valor de R$ 2 mil, nas contas de Flávio. Dois meses depois, o então senador eleito recebeu informações, segundo o empresário Paulo Marinho, sobre uma operação que atingiria o assessor, Fabrício Queiroz, que foi demitido no dia 15 de outubro.

Via Revista Fórum

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *