Parlamentares da base do governo tentam votar a toque de caixa privatização da Eletrobras

O plenário da Câmara dos Deputados deve votar nesta quarta-feira a Medida Provisória 1031/21, que cria condições para venda da estatal que responde por 30% da energia gerada no país. A base do governo Bolsonaro faz pressão para que a matéria seja votada a toque de caixa. 

Foto: Gabriel Paiva

O deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), dos parlamentares que mais luta contra a política de privatização, declarou que considera a proposta “criminosa” porque coloca em risco a segurança energética do país. “Se a Eletrobras for privatizada vai haver um aumento da conta de luz, vulnerabilidade do sistema elétrico nacional e ainda vai deixar as comunidades distantes e pobres sem qualquer investimento. As empresas visam exclusivamente lucro e não manutenção do sistema energético que vai ocasionar um verdadeiro apagão” alertou.

Zarattini defendeu ainda a continuidade da empresa como estatal: “Sem a Eletrobras o Brasil não vai crescer, não vai ter investimento em energia. Nós vamos ficar parados, estagnados. Precisamos lutar para a Eletrobras continuar sendo do povo brasileiro para ter uma tarifa que o povo possa pagar. Por isso dizemos, não a MP do apagão”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *