Brasil dá calote e pode perder pela primeira vez na história direito de voto na ONU

O país tem até o fim de janeiro para pagar uma dívida de US$ 113 milhões com as Nações Unidas. É mais um vexame da gestão de Ernesto Araújo

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

Brasil 247 – O Itamaraty, sob o comando de Ernesto Araújo, considerado um dos piores diplomatas do mundo, pode fazer com que o Brasil perca pela primeira vez seu direito de voto na ONU. Isso porque o país deu calote nos organismos multilaterais.”Naufragou uma das últimas tentativas do governo Jair Bolsonaro para se livrar de uma situação constrangedora no cenário internacional e perder, de forma inédita, o direito de voto na ONU a partir de 1º de janeiro. O Brasil tem até o fim de dezembro para pagar pelo menos US$ 113,5 milhões de uma dívida acumulada de US$ 390 milhões com as Nações Unidas”, informam os jornalistas Daniel Rittner e Renan Truffi, no Valor Econômico.

Com os vexames constantes do Itamaraty, cresce a pressão pela demissão de Araújo, que submeteu o Ministério das Relações Exteriores aos interesses da extrema-direita dos Estados Unidos, que também assumiu um discurso “antiglobalista”.

Só três países se enquadram atualmente nessa situação de dívidas acumuladas: Somália, Ilhas Comores e São Tomé e Príncipe. No entanto, alegaram viver uma crise econômica severa e ganharam um “waiver” (perdão) da comunidade internacional. Com isso, preservaram seus direitos na íntegra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *