Bolsonaro vai dividir com consumidores de todo o país prejuízo de empresa que causou apagão no Amapá

Além da foto do filho 01 de Jair Bolsonaro, a publicação destaca ainda imagem do 03, o deputado Eduardo Bolsonaro. “O uso de dinheiro vivo é frequente na família do presidente desde os anos 1990”

A revista IstoÉ estampou em letras garrafais na capa da edição que chega às bancas nesta sexta-feira (20) que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) é “chefe de uma quadrilha criminosa”. Além da foto do filho 01 de Jair Bolsonaro, que comandou o esquema de corrupção na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a publicação ainda destaca uma imagem do 03, o deputado Eduardo Bolsonaro.

“Segundo o MP, construiu uma rede de desvios de mais de R$ 6 mi, enquanto seu irmão Eduardo estaria envolvido com um time de hackers para melar as eleições”, diz o texto que acompanha a chamada.

A reportagem, de Marcos Strecker e Iara Lemos, é ilustrada com uma foto de Flávio descendo a escadaria da Alerj sobre o título: “A quadrilha desmascarada”.

“Flávio Bolsonaro era o chefe de uma organização criminosa que praticou lavagem de dinheiro, peculato e apropriação indébita, segundo denúncia do MP-RJ. O Esquema desviou R$ 6 milhões. O uso de dinheiro vivo é frequente na família do presidente desde os anos 1990. Para proteger o clã, o mandatário interfere em órgãos de estado e tenta desarmar o combate à corrupção”, afirma a Istoé na abertura da reportagem, que detalha a investigação do Ministério Público sobre o esquema da “rachadinha”, que era liderado por Fabrício Queiroz a mando do hoje senador.

Via Revista Fórum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *