No Brasil de Bolsonaro não se come e não se veste: Depois do arroz, preço das roupas dispara

Foto: Divulgação

O consumidor que voltou ao shopping depois da quarentena esperando liquidações ouviu de vendedores que a roupa é o novo arroz. Segundo Edmundo Lima, diretor da Abvtex (associação do varejo têxtil), o setor vive um momento dramático com a alta no algodão e o consumidor ainda cauteloso.

Ele descreve a queda de braço com a indústria para evitar repasse. “Escutamos relatos de varejistas de que o algodão praticamente sumiu da praça e algumas negociações só estão sendo feitas com pagamento à vista ou antecipado”, diz Lima. “Se alongar muito, uma das alternativas pode ser a importação”, afirma.

Para ​Tito Bessa, da Ablos (entidade de lojistas), o preço do produto final vai subir 40%. “A camiseta que custava R$ 11 vai sair quase R$ 16.”

Via Painel da Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *