A história de Eduardo Bolsonaro e Steve Bannon em tweets

A amizade entre o filho do presidente Jair Bolsonaro e o ex-estrategista de Donald Trump, denunciado por fraude, começou em 2018

Crédito: Reprodução/Twitter

Em 2016, com a eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos, um movimento conservador que tem como objetivo combater um suposto marxismo cultural ganhou força. Um nome de peso nessa onda era o do estrategista da campanha de Trump, Steve Bannon.

Para divulgar sua visão de mundo, ele encontrou representantes em diversos países. No Brasil, o escolhido foi o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), mais conhecido por ser filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Com a prisão de Bannon nos Estados Unidos por fraudar uma campanha de doações, a relação entre os dois voltou à tona.

Para mostrar como é esse relacionamento, o (M)Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, recuperou todas as postagens de Eduardo que mencionavam Bannon pelo nome na rede social Twitter. A equipe encontrou 10 posts e eles contam como evoluiu a amizade entre os dois.

O deputado federal registrou ao todo seis encontros com Bannon entre 3 de agosto de 2018, quando o conheceu, e 27 de fevereiro deste ano, última vez em que postou uma foto com ele. Das 10 postagens, apenas uma não falava sobre uma reunião entre eles. Ela anunciava a vinda de Bannon ao Brasil.

Tudo começou em agosto de 2018, quando Jair Bolsonaro ainda era candidato à Presidência da República, liderando as pesquisas de opinião. Eduardo fez questão de postar uma foto com Bannon no dia em que o conheceu.

O contato seguinte ocorreu em novembro do mesmo ano, com o pai já eleito para ocupar o Palácio do Planalto. A ocasião era o jantar de aniversário de Bannon.

Dois meses depois, no começo de 2019, o filho 03 era escolhido para liderar o movimento de Bannon na América Latina. Um tweet registrou a ocasião.

Em fevereiro do mesmo ano, Eduardo postou sobre uma conversa que teve com Bannon e publicou uma foto de ambos para prová-lo.

O encontro seguinte a merecer uma postagem no Twitter ocorreu apenas sete meses depois, em setembro de 2019. O tema dessa vez era a Amazônia.

Menos de duas semanas depois, em outubro do mesmo ano, nova postagem sobre Bannon anunciava a visita do ex-estrategista de Donald Trump ao Brasil.

Neste ano, a última menção de Eduardo Bolsonaro a Bannon foi feita em uma foto em que o deputado aparece ao lado do político conservador do Reino Unido, Nigel Farage.

Até o fechamento desta reportagem, Eduardo Bolsonaro não tinha se pronunciado no Twitter sobre a prisão do chefe no The Movement, nome do movimento conservador liderado por Bannon.

Via: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *