Há dois anos, Moro manobrava a PF para descumprir ordem judicial e manter Lula preso

Há exatos dois anos, o juiz Sérgio Moro comprovava tudo aquilo que seria revelado pela Vaza Jato, foi no dia oito de Julho de 2018, que o então juiz de Curitiba interferiu para que a PF não cumprisse uma determinação desembargador de plantão no TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) Rogério Favreto, que expediu um habeas corpus autorizando a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A prisão de Lula completava três meses naquele 8 de julho. Mas era o período seguinte que faria com que aquela ordem judicial nunca fosse cumprida: ela antecedia exatos três meses do primeiro turno das eleições presidenciais, uma disputa que Lula seguia liderando com 30% das intenções de voto, mesmo preso injustamente. Com Lula ainda no páreo, Jair Bolsonaro pontuava apenas 17%.

O HC atendia a uma ação conjunta dos deputados federais e advogados Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira. A monotonia de um pacato domingo de frio no Paraná foi então interrompida por uma das mais vergonhosas guerras de despachos judiciais para manter um homem preso. E o país parou para assistir.

Assista ao vídeo e saiba o que aconteceu naquele dia:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *