Bolsonarista gastou R$ 238,5 mil da cota parlamentar em empresas acusadas de propagar fake news

Da Revista Fórum

Um dos principais aliados do clã presidencial no Rio de Janeiro, o deputado federal Otoni de Paula, que se reúne nesta quarta-feira (24) com Jair Bolsonaro, já gastou R$ 238,5 mil da cota parlamentar com empresas acusadas de disparo indevido de mensagens de texto e de WhatsApp durante as eleições.

Otoni é um dos 11 parlamentares bolsonaristas que tiveram quebra de sigilo autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, no inquérito das fake news e de ameaças aos ministros da corte.

Na noite desta terça-feira (23), o deputado publicou uma foto dentro de um avião em suas redes sociais. “Amanhã, café com o PR Bolsonaro para traçar estratégicas cirúrgicas nesse tempo de guerra. O tiro tem que ser certeiro, e será, não se preocupem”, escreveu.

Otoni destinou cerca de R$ 167 mil à empresa Aplicanet entre março e dezembro de 2019. Nas eleições de 2014, o Ministério Público Eleitoral acusou a empresa de propaganda irregular para Garotinho por meio de disparos por SMS e WhastApp que se assemelhavam à prática de “telemarketing”, segundo a representação.

Desde janeiro de 2020, Otoni encaminhou mais R$ 71,5 mil à Agência Vírgula, registrada na Receita Federal em julho do ano passado em nome de Francisco Carlos de Rezende Junior. O responsável legal pela Agência Vírgula aparece em diversas fotografias, inclusive no ano passado, no escritório da Aplicanet e ao lado do fundador da empresa, o pastor Alan dos Santos, ligado, assim como Otoni, à Assembleia de Deus de Madureira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *